Concursos Abertos Concursos 2023

Concurso Receita Federal – Tarifa Externa Comum (TEC)

Carolina Couto Carolina Couto comentários
23/06/2022, às 09:38 • 1 semana atrás

Fala pessoal! Hoje vamos falar de comércio internacional. Vamos falar de MERCOSUL, principalmente sobre a tarifa externa comum, a famosa TEC.

A história do MERCOSUL e remonta a aproximação política do Brasil e da Argentina durante a década de 80. A Declaração de Iguaçu (1985) foi um marco do início dessa aproximação.

Já em 1988, com o Tratado de Integração, Cooperação e Desenvolvimento, previu-se o prazo de 10 anos para a formação de uma Área de Livre Comércio bilateral. Em 1990, com a Ata de Buenos Aires, foi firmado novo compromisso de constituir um Mercado Comum até o fim de 1994. Ainda em 1990, Paraguai e Uruguai foram incluídos no processo de integração. Foi então, em março de 1991 que os quatro países assinaram o Tratado de Assunção, constituindo o MERCOSUL.

O artigo 1 Tratado de Assunção apresenta os seguintes objetivos do bloco:

  1. A livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos entre os países, através, entre outros, da eliminação dos direitos alfandegários e restrições não-tarifárias á circulação de mercadorias e de qualquer outra medida de efeito equivalente.
  2. O estabelecimento de uma tarifa externa comum e a adoção de uma política comercial comum em relação a terceiros Estados ou agrupamentos de Estados e a coordenação de posições em foros econômico-comerciais regionais e internacionais.
  3. A coordenação de políticas macroeconômicas e setoriais entre os Estados Partes – de comércio exterior, agrícola, industrial, fiscal, monetária, cambial e de capitais, de serviços, alfandegária, de transportes e comunicações e outras que se acordem -, a fim de assegurar condições adequadas de concorrência entre os Estados Partes.
  4. O compromisso dos Estados Partes de harmonizar suas legislações, nas áreas pertinentes, para lograr o fortalecimento do processo de integração.

Tarifa Externa Comum

Vê-se, portanto, que o estabelecimento de uma TEC é um dos objetivos do bloco. A Tarifa Externa Comum (TEC) foi inserida no Brasil pelo Decreto 1.343 de 1994. A TEC estabelece regras sobre as alíquotas do Imposto de Importação a serem aplicadas nessas operações, em que os países do bloco, de forma harmônica, estabelecerão alíquotas comuns para os mesmos produtos.

Importante ressaltar que há exceções à TEC em uma lista de produtos que estão excluídos da regra aduaneira. Por causa dessas exceções, diz-se que o MERCOSUL e considerada uma União Aduaneira imperfeita.

A TEC foi implantada no Brasil tendo como base a Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM).

A Nomenclatura Comum do MERCOSUL (NCM) é um sistema que permite classificar cada mercadorias comerciadas entre os Estados Partes do MERCOSUL e entre eles com o resto do mundo. Ou seja, é um sistema que visa a harmonizar a classificação dos produtos comercializados.

Exceções à Tarifa Externa Comum

As exceções à TEC são apresentadas em uma lista. A Lista de Exceções à Tarifa Externa Comum (LETEC) é o instrumento previsto no bloco que permite aos Estados Partes a aplicação das alíquotas de imposto de importação diversas daquelas previstas pela Tarifa Externa Comum (TEC).

São exceções à TEC:

  1. Lista de Exceções à Tarifa Externa Comum (LETEC)
  2. Resolução do GMC Nº 08/08 que normatiza os casos de desabastecimento
  3. Ex-Tarifários para Bens de Capital (BK) e Bens de Informática e de Telecomunicações (BIT)
  4. Lista de Exceção de Bens de Informática e de Telecomunicações (LEBIT)
  5. Lista de Autopeças Não Produzidas

Vamos ver como esse tema já caiu em prova:

ESAF – ATRF – 2006

O Tratado de Assunção, acordo constitutivo do Mercosul, define, em seu artigo 1º, os objetivos do bloco. Entre esses objetivos, não se inclui:

a) A coordenação de políticas macroeconômicas e setoriais entre os Estados-partes – como as de comércio exterior, fiscal, monetária, cambial e alfandegária, entre outras -, a fim de assegurar condições adequadas de concorrência entre os Estados-partes.

b) O compromisso de os Estados-partes harmonizarem suas legislações nas áreas pertinentes.

c) A definição de uma moeda comum, uma vez constituído o mercado comum e harmonizadas as políticas monetária, fiscal e cambial.

d) A livre-circulação de bens, serviços e fatores produtivos entre os Estados-partes do bloco.

e) A adoção de uma política comercial comum em relação a terceiros Estados ou agrupamentos de Estados

A questão trata dos objetivos do MERCOSUL que elencamos no início desse artigo. Portanto, o nosso gabarito é a LETRA C. O bloco não possui dentro de seus objetivos o estabelecimento de uma moeda comum, o que o tornaria uma União Monetária e o objetivo é a constituição de um Mercado Comum.

O artigo 1 Tratado de Assunção apresenta os seguintes objetivos do bloco:

  • A livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos entre os países, através, entre outros, da eliminação dos direitos alfandegários e restrições não-tarifárias à circulação de mercadorias e de qualquer outra medida de efeito equivalente.
  • O estabelecimento de uma tarifa externa comume a adoção de uma política comercial comum em relação a terceiros Estados ou agrupamentos de Estados e a coordenação de posições em foros econômico-comerciais regionais e internacionais.
  • A coordenação de políticas macroeconômicas e setoriais entre os Estados Partes de comércio exterior, agrícola, industrial, fiscal, monetária, cambial e de capitais, de serviços, alfandegária, de transportes e comunicações e outras que se acordem, a fim de assegurar condições adequadas de concorrência entre os Estados Partes.
  • O compromisso dos Estados Partes de harmonizar suas legislações, nas áreas pertinentes, para lograr o fortalecimento do processo de integração.

Por hoje vamos ficando por aqui. Até a próxima e bons estudos!

Assinatura Ilimitada!

Que tal revolucionar a sua forma de estudar? Confira agora a nossa assinatura ILIMITADA e inicie sua aprovação rumo ao edital dos sonhos! São mais de 14 mil vídeo aulas, mais de 13 mil aulas em PDF e mais de 600 cursos para você! Vai querer perder essa oportunidade?

Não posso perder!

Carolina Couto

Aprovada em primeiro lugar no concurso da PCDF. Também foi aprovada nos concursos da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. Atualmente, é agente da PF e professora do Direção Concursos.

Comentários