Logo Direção Concursos
Pesquisa
Banner artigos

Gabarito – Português – CGU – Cargo: Técnico de Finanças e Controle

icons
icons
icons
icons
icons
Imagem do autor do artigo

José Maria21/03/2022

21/03/2022

Prezados Alunos,

Eis o gabarito comentado da prova de Língua Portuguesa da CGU – Cargo: Técnico de Finanças e Controle.

Esperemos a publicação do gabarito oficial pela organizadora e, havendo qualquer divergência pertinente, proporemos os recursos cabíveis.

Grande abraço e sucesso!

José Maria

Professor José Maria
Instagram: @professorjosemaria
– Telegram: t.me/professorjosemaria
– Youtube: /professorjosemaria

Gabarito Extraoficial: Letra E

Na letra A, o pronome “eles” não retoma um termo anterior, mas sim a ideia transmitida por ele. No caso, “eles” retoma os integrantes da banda.
Na letra B, o pronome “lhes” não retoma um termo anterior, mas sim a ideia transmitida por ele. No caso, “lhes” retoma os integrantes do grupo.
Na letra C, não está claro quem o pronome “ela” retoma: se Fátima ou Bruna.
Na letra D, entendo que a expressão “Um imenso tapete branco” é a consequência da nevasca. Não entendo que essa expressão retoma “neve”.
Na letra E, entendo que “esses artefatos” fazem menção às duas esferográficas, aos três lápis e às folhas de papel.

Gabarito Extraoficial: Letra B

As letras A e B podem gerar dúvida.

Mas vejamos que, na letra A, existe a possibilidade de o entrevistador aceitar ser chamado de “você”. Faz isso para “quebrar o gelo”, gerando descontração.
Já na letra B, a inserção de opiniões pessoais descaracteriza o gênero notícia, pois esta deve ser impessoal e objetiva. Ao trazer opiniões pessoais para o texto, este deixa de ser uma notícia.

Gabarito Extraoficial: Letra E

Na letra A, o raciocínio parte de uma ideia geral, mas não se apresenta uma consequência, e sim uma comparação.
Na letra B, o raciocínio, como dito anteriormente, parte de uma ideia geral.
Na letra C, não ocorre uma oposição de ideias.
Na letra D, não se apresentam teses contrárias.

Por fim, na letra E, nosso gabarito, temos correção. De fato, o texto compara a situação descrita ao caso de um país maltratado.

Gabarito Extraoficial: Letra A

De fato, a visão do autor contrasta com a dos nutricionistas. No entanto, essa discordância não é completa. Note que o autor concorda que é necessário incentivar o consumo de legumes e frutas, mas entende que há outras questões a serem consideradas, como o consumo de alimentos industrializados e o consumo de carne.

Gabarito Extraoficial: Letra D

Na letra A, é polissêmico o verbo “refletir”, que pode significar “emitir reflexo” ou “pensar”.
Na letra B, é polissêmico “espaço”, que pode significar “lugar” ou “espaço sideral”.
Na letra C, é polissêmica “prova”, que pode significar “teste de avaliação” ou “instrumento de comprovação”.
Na letra E, é polissêmico “teatro”, que pode fazer alusão ao local ou às encenações.

Já na letra D, não há vocábulos explorando a propriedade da polissemia.

Gabarito Extraoficial: Letra E

Na letra E, a presença da 1a pessoa do singular explicita a subjetividade.

Gabarito Extraoficial: Letra E

Notam-se no texto várias repetições desnecessárias, tornando o texto até obscuro em alguns trechos.

Gabarito Extraoficial: Letra C

Na letra A, entendo que a descrição não se limita ao aspecto físico. Entra em cena um fator subjetivo, associado à percepção de respeito.
Na letra B, a percepção é de respeito, não de elegância.
Na letra D, temos sim a presença de marcas subjetivas.
Na letra E, as descrições servem de suporte à imagem de respeito criada.

Por fim, na letra C, nosso gabarito, faz-se uma imagem da pessoa (todo) a partir de algumas descrições físicas específicas.

Gabarito Extraoficial: Letra D

Na letra A, o verbo fazer faz menção a construir casas à beira da via férrea.
Na letra B, o verbo fazer faz menção a caminhar todos os dias por duas horas.
Na letra C, o verbo fazer faz menção a ler romances de Machado de Assis.
Na letra E, o verbo fazer faz menção a plantar árvores frutíferas.

Por fim, na letra D, fazer faz menção a elaborar, executar.

Gabarito Extraoficial: Letra A

Questão sutil!

Entendo que o gabarito seja letra A; Ao se dizer “um monstro de elegância”, quer-se dizer “muito elegante”. Dessa forma, a superlativação do adjetivo foi construída a partir de uma significação dada a um substantivo.

Na letra B, não vejo “macio” como uma qualidade estranha.
Na letra C, não vejo frase com tons eruditos.
Na letra D, não entendo haver rima, pois a repetição do som não ocorre no final dos vocábulos, mas sim no seu início.
Na letra E, não vejo discordância entre expressão e conteúdo.

Gabarito Extraoficial: Letra E

Na letra A, ocorre quebra de paralelismo entre “trabalha na fábrica” e “é enfermeira”.
Na letra B, ocorre quebra de paralelismo entre “que é dura” e “que pode dar jeito no setor”.
Na letra C, ocorre quebra de paralelismo entre “estarem as comissões…” e “que eles tudo têm feito…”.
Na letra D, ocorre quebra de paralelismo entre “verificar a seriedade” e “que os jornais as tenham feito…”.

Na letra E, entendo haver correto paralelismo entre “jornalista” e “empresário”, dois substantivos coordenados entre si.

Gabarito Extraoficial: Letra A

Entendo que há posicionamentos diferentes. Os dois lados divergem não sobre os argumentos apresentados, mas sobre aquilo que se julga mais relevante.
Os menos radicais não discordam totalmente de que a liberdade total seja educativa, mas entendem que o controle prepara melhor.
Os mais liberais não discordam totalmente de que é triste o grande número de desajustados, mas consideram um problema maior o número de ajustados infelizes.

Gabarito Extraoficial: Letra A

Ora, é contraditório dizer que o porteiro impediu a entrada e que se conseguiu entrar. O coerente seria dizer que o porteiro tentou impedir.

Gabarito Extraoficial: Letra E

O texto traz um fato: a quantidade de pessoas formadas em nível de mestrado e doutorado é pequena.
O segundo parágrafo detalha esse fato, trazendo números: são 18 doutores para cada um milhão de habitantes.
Isso valida a letra E.

Alguns poderiam confundir com a letra D. No entanto, a tese do texto é que o reduzido número de mestres e doutores é um problema. Ao logo do texto, o autor não explica por que considera isso um problema.

Gabarito Extraoficial: Letra D

Na letra A, “rápido” pode ser o carro ou a forma de fazer a escolha.
Na letra B, não se sabe qual o sujeito elíptico de “podia decidir” – se “o pai” ou “o menino”.
Na letra C, não se sabe se o preconceito era do clube ou dos que queriam ser sócios.
Na letra E, não se sabe que a preocupação era do síndico ou do porteiro.

José Maria

José Maria

Professor de Língua Portuguesa para concursos há 10 anos. Atuou como Consultor de Língua Portuguesa na CNI (Confederação Nacional da Indústria) no Projeto Educação Livre. É autor de livros e materiais didáticos para ENEM e Concursos Públicos. Formado em Engenharia Eletrônica pelo ITA.

Tenha acesso completo a todo o conteúdo do Direção Concursos

Acesse todas as aulas e cursos do site em um único lugar.

Cursos Preparatórios para Concursos Públicos em destaque

1 | 11

Artigos Relacionados

Receba nossas novidades!

Fique por dentro dos novos editais e de todas as principais notícias do mundo dos concursos.

Utilizamos cookies para proporcionar aos nossos usuários a melhor experiência no nosso site. Você pode entender melhor sobre a utilização de cookies pelo Direção Concursos e como desativá-los em saiba mais.