Concursos Abertos Concursos 2020

Gabarito TRF3 – Analista Judiciário – Português

José Maria José Maria comentários
03/12/2019, às 02:29 • 7 dias atrás

Prezados Alunos,

Eis o gabarito comentado da prova do TRF 3 Região, para o cargo de Analista Judiciário. Tomei por base a prova TIPO I.

Desejo a todos sucesso! Contem sempre comigo!

Professor José Maria

Instagram: @professorjosemaria

01) Deve-se entender da leitura do texto que, ao se considerar a pergunta formulada no título,

(A) a definição dada no primeiro parágrafo não satisfaz porque, em sua amplitude, formula ideais de conduta coletiva em vez de analisar práticas individuais.
(B) a noção aventada no segundo parágrafo pecaria por não distinguir entre os elementos transitórios e os elementos duradouros de uma sociedade.
(C) a hipótese levantada no terceiro parágrafo é dada como insatisfatória porque valoriza as relações pragmáticas já estabelecidas numa sociedade.
(D) o reconhecimento de um parâmetro válido para a definição do que seja uma estrutura social é indispensável para que se aceite essa definição.
(E) a validação do conceito mesmo de estrutura social deve preceder toda e qualquer análise de caso que se proponha numa fundamentação aceitável.

Gabarito Oficial: Letra D

Letra A – ERRADA – A definição apresentada no 1º parágrafo peca, pois individualiza excessivamente o conceito, analisando-o pessoa-a-pessoa.

Letra B – ERRADA –  A definição apresentada no 2º parágrafo peca, pois considera apenas os elementos duradouros, desconsiderando os efêmeros (transitórios).

Letra C – ERRADA – Não há uma valorização de relações pragmáticas (práticas, objetivas), mas a idealização de realidades.

Letra D – CERTA – Trata-se de uma paráfrase do seguinte trecho: “… será preciso sempre reconhecer que a validade de qualquer uma delas estará presa à validação do critério que a sustenta”.

Letra E – ERRADA – Primeiro vem a fundamentação e só depois a validação do conceito, segundo o texto. É o que está dito em : “… será preciso sempre reconhecer que a validade de qualquer uma delas estará presa à validação do critério que a sustenta”.

02) Considerando-se o contexto, traduz-se adequadamente o sentido de um segmento do texto em:

(A) rede de todas as relações de pessoa-a-pessoa (1o parágrafo) = somatória de todas as individualidades.

(B) persistem por muitas gerações (2o parágrafo) = difundem uma permanência gerativa.

(C) enfatiza não tanto as relações reais (3o parágrafo) = releva sobremaneira as conexões efetivas.

(D) permite a seus membros exercerem (3o parágrafo) = faculta o desmembramento do exercício.

(E) estará presa à validação do critério (4o parágrafo) = dependerá da aceitabilidade do parâmetro.

Gabarito Oficial: Letra E

Letra A – ERRADA – A palavra “todas as individualidades” não traduz a ideia de relação entre as pessoas trazida no texto original.
Letra B – ERRADA – A ideia de “geração” não está traduzida em “permanência gerativa” (permanência que gera).
Letra C – ERRADA – A ideia de “relações reais” se contrapõe a “conexões afetivas”.
Letra D – ERRADA – A ideia de “desmembramento do exercício” está associada à separação, fragmentação, ideia bem distinta do texto original.
Letra E – CERTA

03) Está clara e correta a redação desta livre consideração sobre o texto:

(A) A menos que se sigam algum critério aceitável, os estudiosos da sociedade se apresentam como problemáticos no caso de sua definição estrutural.
(B) Os diferentes critérios para a definição do que seja a estrutura social são julgados, por razões diversas, como insatisfatórios.
(C) Há quem julguem as relações sociais como um produto que ao mesmo tempo considere que as individualidades já as constituam por si mesmas
(D) Não é por formularem alguma ordem ideal para as relações sociais definidas como expectativas que se obtêm, apenas por isso, a validade de uma estrutura.
(E) O autor do texto leva-nos à crer que, a depender do critério que adotássemos, nossa definição de estrutura social terá validade nessa dependência.

Gabarito Oficial: Letra B

Letra A – ERRADA – Deve-se empregar a forma “se siga”, para que haja concordância com o sujeito paciente “algum critério…”.
Letra B – CERTA
Letra C – ERRADA – Deve-se empregar a forma singular “julgue” para que haja concordância com o sujeito representado pelo pronome “quem”.
Letra D – ERRADA – Deve-se empregar a forma singular “se obtém” – com acento agudo -, para que haja concordância com o sujeito paciente “a validade de uma estrutura”.
Letra E – ERRADA – É equivocada a crase antes do verbo “crer”. Além disso, deve-se empregar a forma “adotemos”, para que haja correlação com “leva-nos” e “terá”.

04) O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se numa forma do singular para integrar corretamente a frase:

(A) As respostas que se (aguardar) para essa questão prendem-se aos critérios a serem observados.

(B) A propósito dessa exata definição de estrutura com que se (afligir) os antropólogos, estamos longe de qualquer consenso.

(C) Não (dever) caber aos sociólogos ou antropólogos definir açodadamente o que seja uma estrutura social.

(D) Àqueles que (haver) de pesquisar o funcionamento de uma sociedade recomenda-se sensatez na escolha de um critério.

(E) A validação dos critérios que se (apresentar) como parâmetros aceitáveis deve receber o aval de todos os envolvidos na definição.

Gabarito Oficial: Letra C

Letra A – ERRADA – Deve-se empregar a forma plural “se aguardam”, para que haja concordância com “respostas”
Letra B – ERRADA – Deve-se empregar a forma plural “se afligem”, para que haja concordância com “antropólogos”.
Letra C – CERTA – Deve-se empregar a forma singular “deve”, para que haja concordância com o sujeito oracional “definir açodadamente…”.
Letra D – ERRADA – Deve-se empregar a forma plural “hão” ou “haverão”, para que haja concordância com “Aqueles”.
Letra E – ERRADA – Deve-se empregar a forma plural “se apresentam”, para que haja concordância com “critérios”.

05) Ao desenvolver suas impressões sobre a tatuagem, o autor acredita que ela,

(A) sendo um fenômeno relativamente recente, difundiu-se pela atuação dos artistas plásticos que a conceberam em primeira mão.

(B) apesar dos dissabores que causa, já o persuadiu a tatuar-se em razão da beleza dos símbolos que se imprimem na pele.

(C) tendo nascido em tempos remotos, conserva plena e exclusiva fidelidade aos primeiros símbolos que a celebrizaram.

(D) exibindo-se em tantos corpos que passam, oferece a um observador uma revelação contínua de novos elementos.

(E) embora limitada a formas simbólicas, faz pensar em frases que revelariam o mistério que ela oculta dentro de si mesma.

Gabarito: Letra D

Letra A – ERRADA – Trata-se de uma extrapolação, pois, em momento algum, o texto fala do papel dos artistas plásticos.
Letra B – ERRADA – A tatuagem não é apresentada como um dissabor, um desprazer.
Letra C – ERRADA – Não há na tatuagem necessariamente uma fidelidade aos primeiros símbolos. Do jeito que está redigido o item, dá-se a entender que as tatuagens atuais necessariamente fazem alusão às suas origens.
Letra D – CERTA – Trata-se de uma paráfrase para o trecho “Para um observador parado à beira-mar, … , cada tatuagem é uma descoberta, uma viagem do olhar”.
Letra E – ERRADA – Não se limita a tatuagem a formas simbólicas. O autor viu tatuagens reproduzindo textos e bilhetes.

06) Na frase Quero ficar no teu corpo feito tatuagem, da canção de Chico Buarque e Ruy Guerra, deve-se entender que

(A) há o desejo de que essa mesma frase seja gravada no corpo da pessoa amada.

(B) a expressão feito tatuagem está empregada no sentido de tal e qual tatuagem.

(C) o corpo da pessoa amada deve aparecer a quem o olha como se fosse uma tatuagem. (

(D) o amor pela pessoa amada acaba tendo a mesma efemeridade de uma tatuagem.

(E) há a esperança de que a paixão impossível acabe se representando numa tatuagem.

Gabarito Oficial: Letra B

Letra A – ERRADA – A frase da música expressa um sentido conotativo. Quer a pessoa que seja sempre lembrada pela amada.
Letra B – CERTA – De fato! O emprego da forma “feito” traduz uma ideia de comparação.
Letra C – ERRADA – A frase da música expressa um sentido conotativo. Não se deve, pois, interpretar “tatuagem” ao pé da letra. Quer a pessoa que seja sempre lembrada pela amada.
Letra D – ERRADA – A tatuagem não simboliza a efemeridade (transitoriedade), mas sim a perenidade (permanência).
Letra E – ERRADA – A frase da música expressa um sentido conotativo. Não se deve, pois, interpretar “tatuagem” ao pé da letra. Quer a pessoa que seja sempre lembrada pela amada.

07) Além da beleza das formas e cores, há algo de simbólico nessas inscrições corporais. A frase acima ganha nova redação, na qual se mantêm a coerência básica, a clareza e a correção da linguagem, no seguinte caso:

(A) Nessas inscrições corporais, a despeito da beleza das formas e cores, ocorre-lhes algum simbolismo.

(B) Em tais inscrições corporais o simbolismo desperta-lhes igualmente a beleza das formas e cores simbólicas.

(C) Algo de simbólico se revela, além das belas formas e cores, nessas inscrições corporais.

(D) Essas formas simbólicas, em cujas há cores e beleza, apresentam-se como inscrições corporais.

(E) O simbólico dessas inscrições corporais manifesta-se para muito além das formas e cores que houverem.

Gabarito Oficial: Letra C

Letra A – ERRADA – A ideia original de adição é prejudicada na reescrita proposta, pois a locução “a despeito de” expressa oposição concessiva.
Letra B – ERRADA – A ideia original de adição é prejudicada na reescrita proposta, pois o advérbio “igualmente” expressa uma equivalência.
Letra C – CERTA
Letra D – ERRADA – O emprego do pronome “cujas” é equivocado, uma vez que este necessariamente precisa estar posicionado entre dois substantivos, o que não é o caso.
Letra E – ERRADA – Deve-se empregar a forma singular “houver”, já que este, no sentido de “existir”, é impessoal, flexionando-se unicamente na 3ª pessoa do singular.

08) Está plenamente adequado o emprego de ambos os elementos sublinhados na frase:

(A) As economias que provieram de seus salários, ele as despendeu em sessões de tatuagem.

(B) Elas interviram quando ele se dispôs a apagar uma tatuagem que o custara tão caro.

(C) A propósito de tatuagens, o velho lhes vê como assessórios inúteis que marcam um corpo.

(D) Depois de se deixar seduzir a uma tatuagem, conheceu o remorso em cujo se martirizou.

(E) Ele diz não saber porquê a tatuagem goza de tanto prestígio aonde quer que surja.

Gabarito Oficial: Letra A

Letra A – CERTA

Letra B – ERRADA – A correção seria: Elas intervieram quando ele se dispôs a apagar uma tatuagem que lhe custara tão caro.
Note que “lhe” é necessário para substituir o objeto indireto de “custar”.

Letra C – ERRADA – A correção seria: A propósito de tatuagens, o velho os vê como acessórios inúteis que marcam um corpo.
Deve-se empregar o pronome “os” para representar o objeto direto de “vê”.

Letra D – ERRADA – A correção seria: Depois de se deixar seduzir por uma tatuagem, conheceu o remorso em que se martirizou.

Letra E – ERRADA – A correção seria: Ele diz não saber por quê a tatuagem goza de tanto prestígio onde quer que surja.



gabarito trf3 português português para concurso público

José Maria

Professor de Língua Portuguesa para concursos há 10 anos. Atuou como Consultor de Língua Portuguesa na CNI (Confederação Nacional da Indústria) no Projeto Educação Livre. É autor de livros e materiais didáticos para ENEM e Concursos Públicos. Formado em Engenharia Eletrônica pelo ITA.

Comentários