Concursos 2019 Concursos 2020

Concurso TCU: o artigo MAIS COMPLETO sobre o próximo edital

  • Notícias
  • Concurso TCU: o artigo MAIS COMPLETO sobre o próximo edital
Autor: Victor Gammaro | 28/06/2019, às 17:30 | 6 comentários

				<![CDATA[]]>

O concurso TCU é o principal concurso da Área de Controle. O certame foi confirmado para 30 vagas em 2020. Veja o vídeo:

Nesta notícia você verá TODAS as informações que precisa sobre o próximo edital TCU, como:

Vamos começar?

Quanto você vai ganhar no concurso TCU 2019

Os Auditores de Controle Externo do TCU possuem a seguinte tabela remuneratória:

AUFC 13R$ 31.428,91
AUFC 12R$ 30.556,63
AUFC 11R$ 30.015,39
AUFC 10R$ 29.486,98
AUFC 9R$ 28.291,55
AUFC 8R$ 27.802,72
AUFC 7R$ 27.241,80
AUFC 6R$ 26.695,97
AUFC 5R$ 25.646,40
AUFC 4R$ 25.148,28
AUFC 3R$ 24.664.70
AUFC 2R$ 24.195.19
AUFC 1R$ 21.947,82

Veja que os Auditores começam ganhando cerca de R$22.000 e ultrapassam os R$31.000 no final da carreira.

Já os Técnicos (nível médio), cujo teto chega próximo dos R$18.000,00, o salário inicial é de R$ 12.697,54.

Outros benefícios que você vai ganhar no TCU

Além da remuneração, os Auditores do TCU contam com alguns benefícios interessantes:

  • carga horária de 7 horas por dia;
  • recesso de 30 dias no final do ano (de 17/dez a 16/jan);
  • auxílio alimentação: R$982,10;
  • auxílio saúde: R$174,48;
  • auxílio pré-escolar: R$768,90.

Cargos de confiança no TCU (dados de maio de 2019)

O servidor do TCU também poderá ser convocado para atuar em uma função de confiança. Com isso, o salário pode aumentar consideravelmente. Veja:

Trata-se de uma carreira que conjuga excelente remuneração, trabalho de alta relevância para o país, e bastante qualidade de vida. Ainda existem, por exemplo, as gratificações no TCU:

Conheça mais sobre o TCU acompanhando a série Direção TCU, apresentada pelo professor Erick Alves, que é Auditor de Controle Externo e professor das disciplinas de Direito Administrativo e Controle Externo para concursos há vários anos:

Cargos vagos no TCU

De acordo com dados de Março/2019, o Tribunal de Contas da União possui 176 cargos vagos de Auditor, e 208 cargos vagos de Técnico.

Requisitos para prestar o Concurso TCU

O cargo de Auditor exige a conclusão de curso de nível superior ou habilitação equivalente por instituição reconhecida pelo MEC. Assim, mesmo quem te formação como Tecnólogo está habilitado a prestar o concurso. Vale dizer que mesmo os interessados na área de Auditoria de Tecnologia da Informação podem ter curso superior em qualquer área, não é necessária formação específica em TI.

Já o cargo de Técnico exige apenas a conclusão de curso de ensino médio por instituição reconhecida pelo MEC.

Naturalmente, ambos os cargos possuem outros requisitos, como a aprovação no concurso, a nacionalidade brasileira ou portuguesa, a quitação das obrigações militares (homens) e eleitorais etc.

Veja todos os detalhes nos editais dos concursos de Auditor e de Técnico.

Conheça os cursos completos do Direção para o Pacote TCU com garantia de atualização até a prova

O último concurso TCU para cada Auditor

O último edital TCU foi publicado em 2015 pela banca Cespe, que tradicionalmente organiza este certame. Há grande expectativa de que ela permaneça como a banca responsável pelo próximo concurso, visto que ela tem aplicado a maioria das provas para Tribunais de Contas Estaduais nos últimos anos (TCE/PB 2018, TCE/PE 2017, TCE/PA 2016, TCE/SC 2016, TCE/PR 2016 etc).

O edital TCU 2015 previu as seguintes vagas para Auditor:

O edital foi publicado em 09/junho e as provas foram em 16/agosto, ou seja, apenas 2 meses após a publicação. Confira a demanda:

Veja a seguir a estrutura das provas:

Todas as provas eram eliminatórias e classificatórias. As provas P1 e P3 foram aplicadas juntas, no período da manhã, e tiveram duração total de 5 horas. Já as provas P2 e P4 também foram aplicadas juntas, no período da tarde, e tiveram duração de 5 horas. Ou seja, os candidatos enfrentaram uma maratona de 10 horas de provas no mesmo dia!

As provas objetivas valiam 200 pontos (1 ponto por item), lembrando que itens marcados incorretamente geram pontuação negativa (-1), como é tradicional na banca Cespe.

As provas P3 e P4 juntas valem mais 100 pontos, totalizando um máximo de 300 pontos no concurso.

Para entender mais sobre a peça técnica, veja este vídeo do professor Erick Alves. Embora na ocasião ele estava tratando sobre o concurso do TCDF, muito se aplica ao certame do TCU:

Conteúdo cobrado no último concurso TCU

Veja a seguir a relação das disciplinas cobradas no edital TCU 2015 para o cargo de Auditor (ao fim, há todos os tópicos cobrados em cada matéria):

CONHECIMENTOS GERAIS

  • língua portuguesa
  • língua inglesa
  • raciocínio analítico
  • matemática financeira
  • noções de estatística
  • controle externo
  • direito constitucional
  • direito administrativo
  • direito civil
  • direito processual civil
  • direito penal
  • auditoria governamental
  • análise de informações

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS p/ área de Auditoria Governamental

  • noções de economia do setor público e da regulação
  • contabilidade geral
  • análise das demonstrações contábeis
  • contabilidade de custos
  • contabilidade pública
  • administração financeira e orçamentária
  • administração pública

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS p/ área de Auditoria de Tecnologia da Informação

  • gestão, governança de TI e engenharia de software
  • desenvolvimento de sistemas
  • infraestrutura de TI
  • segurança da informação
  • fiscalização de contratos de TI

Concurso TCU para o cargo de Técnico

O último concurso TCU para o cargo de Técnico ocorreu em 2015. Ao contrário do de Auditor, que já expirou, o certame para Técnico permanece válido, devendo expirar ao final de 2019.

Os candidatos enfrentaram uma prova de conhecimentos básicos, outra de conhecimentos específicos, além de 2 questões discursivas e 1 peça de natureza técnica.

Veja ainda as disciplinas cobradas para o cargo de Técnico do TCU em 2015:

CONHECIMENTOS BÁSICOS

  • português
  • direito constitucional
  • informática
  • atualidades

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

  • direito administrativo
  • execução orçamentária e financeira
  • controle externo
  • noções de administração

Nota de corte e concorrência no concurso TCU

O concurso TCU 2015 teve 9.417 inscritos para os cargos de Auditor.

Para a área de TI foram 2.446 candidatos inscritos, disputando 30 vagas, o que resultou em uma concorrência de 81,53 candidatos por vaga.

Veja a seguir as notas de corte (dentro das vagas de ampla concorrência) para a especialidade Auditoria Governamental:

  • Rio Branco/AC – 2 vagas: 182,51 (60,8%)
  • Macapá/AP – 1 vaga: 177,36 (59,1%)
  • Manaus/AM – 1 vaga: 197,63 (65,8%)
  • Brasília/DF – 27 vagas: 192 (64%)
  • Cuiabá/MT – 1 vaga: 191,96 (63,9%)
  • Belém/PA – 1 vaga: 183,13 (61%)
  • Boa Vista/RR – 1 vaga: 176,57 (58,8%)

No caso de Tecnologia da Informação, a nota de corte foi de 171,8 pontos, correspondendo a 57,2% da pontuação máxima possível.

Conteúdo cobrado em detalhes

LÍNGUA PORTUGUESA

1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados.
2 Reconhecimento de tipos e gêneros textuais.
3 Domínio da ortografia oficial.
4 Domínio dos mecanismos de coesão textual.
4.1 Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e de outros elementos de sequenciação textual.
4.2 Emprego de tempos e modos verbais.
5 Domínio da estrutura morfossintática do período.
5.1 Emprego das classes de palavras.
5.2 Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração.
5.3 Relações de subordinação entre orações e entre termos da oração.
5.4 Emprego dos sinais de pontuação.
5.5 Concordância verbal e nominal.
5.6 Regência verbal e nominal.
5.7 Emprego do sinal indicativo de crase.
5.8 Colocação dos pronomes átonos.
6 Reescrita de frases e parágrafos do texto.
6.1 Significação das palavras.
6.2 Substituição de palavras ou de trechos de texto.
6.3 Reorganização da estrutura de orações e de períodos do texto.
6.4 Reescrita de textos de diferentes gêneros e níveis de formalidade.
7 Correspondência oficial (conforme Manual de Redação da Presidência da República).
7.1 Aspectos gerais da redação oficial.
7.2 Finalidade dos expedientes oficiais.
7.3 Adequação da linguagem ao tipo de documento.
7.4 Adequação do formato do texto ao gênero.

LÍNGUA INGLESA

1 Compreensão de textos escritos em língua inglesa.
2 Itens gramaticais relevantes para compreensão dos conteúdos semânticos.

RACIOCÍNIO ANALÍTICO

1 Raciocínio analítico e a argumentação.
1.1 O uso do senso crítico na argumentação.
1.2 Tipos de Argumentos: argumentos falaciosos e apelativos.
1.3 Comunicação eficiente de argumentos

MATEMÁTICA FINANCEIRA

1 Regra de três simples e composta, proporcionalidades e porcentagens.
2 Juros simples e compostos.
3 Capitalização e desconto.
4 Taxas de juros nominal, efetiva, equivalente, real e aparente.
5 Rendas uniformes e variáveis.
6 Planos de amortização de empréstimos e financiamentos.
6.1 Sistema francês (tabela Price).
6.2 Sistema de Amortização Constante (SAC).
6.3 Sistema de Amortização Misto (SAM).
7 Cálculo financeiro.
7.1 Custo real e efetivo das operações de financiamento, empréstimo e
investimento.
8 Avaliação de alternativas de investimento em economia estável e em ambiente inflacionário.
9 Avaliação econômica de projetos.
10 Taxas de retorno e taxas internas de retorno.

NOÇÕES DE ESTATÍSTICA

1 Metodologia e utilização da estatística. Variáveis quantitativas e qualitativas. Séries estatísticas.
2 Organização e apresentação de variáveis.
3 Estatística descritiva e análise exploratória de dados. Distribuição de frequências: absoluta, relativa, acumulada. Medidas de posição: média, moda, mediana e separatrizes. Medidas de dispersão: desvio-padrão, variância, coeficiente de variação. Correlação. Histogramas e curvas de frequência. Diagrama box-plot. Avaliação de outliers.
4 Análise de dados categorizados.
5 Distribuições de probabilidade. Distribuição binomial. Distribuição normal.
6 Noções de inferência estatística. Estimação de parâmetros por ponto e Por intervalo. Intervalo de confiança. Testes de hipóteses. Testes paramétricos: médias e proporções.
7 Análise de regressão linear.
8 Técnicas de Amostragem.
9 Análise multivariada.
10 Análise de séries temporais.

CONTROLE EXTERNO

1 Entidades Fiscalizadoras Superiores (EFS) e Declaração de Lima.
2 Sistemas de Controle na Administração Pública Brasileira (arts.70 a 74 da Constituição Federal).
2.1 Tribunais de Contas: funções, natureza jurídica e eficácia das decisões.
3 Tribunal de Contas da União: natureza, competência e jurisdição.
3.1 Organização. Julgamento e fiscalização.
3.2 Lei Orgânica do TCU (Lei nº 8.443/1992).
3.3 Regimento Interno do TCU (Resolução-TCU nº 155/2002)

DIREITO CONSTITUCIONAL

1 Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.
1.1 Princípios fundamentais.
2 Aplicabilidade das normas constitucionais.
2.1 Normas de eficácia plena, contida e limitada.
2.2 Normas programáticas.
3 Direitos e garantias fundamentais.
3.1 Direitos e deveres individuais e coletivos, direitos sociais, direitos de nacionalidade, direitos políticos, partidos políticos.
4 Organização político-administrativa do Estado.
4.1 Estado federal brasileiro, União, estados, Distrito Federal, municípios e
territórios.
5 Administração Pública.
5.1 Disposições gerais, servidores públicos.
6 Poder executivo.
6.1 Atribuições e responsabilidades do Presidente da República.
7 Poder legislativo.
7.1 Estrutura.
7.2 Funcionamento e atribuições.
7.3 Processo legislativo.
7.4 Fiscalização contábil, financeira e orçamentária.
7.5 Comissões parlamentares de inquérito.
8 Poder judiciário.
8.1 Disposições gerais.
8.2 Órgãos do poder judiciário.
8.2.1 Organização e competências, Conselho Nacional de Justiça.
8.2.1.1 Composição e competências.
9 Funções essenciais à justiça.
9.1 Ministério Público e Advocacia Pública.

DIREITO ADMINISTRATIVO

1 Estado, governo e Administração Pública.
1.1 Conceitos.
1.2 Elementos.
2 Direito administrativo.
2.1 Conceito.
2.2 Objeto.
2.3 Fontes.
3 Ato administrativo.
3.1 Conceito, requisitos, atributos, classificação e espécies.
3.2 Extinção do ato administrativo: cassação, anulação, revogação e
convalidação.
3.3 Decadência administrativa.
4 Agentes públicos.
4.1 Legislação pertinente.
4.1.1 Lei nº 8. 112/1990.
4.1.2 Disposições constitucionais aplicáveis.
4.2 Disposições doutrinárias.
4.2.1 Conceito.
4.2.2 Espécies.
4.2.3 Cargo, emprego e função pública.
4.2.4 Provimento.
4.2.5 Vacância.
4.2.6 Efetividade,
estabilidade e vitaliciedade.
4.2.7 Remuneração.
4.2.8 Direitos e deveres.
4.2.9 Responsabilidade.
4.2.10 Processo administrativo disciplinar.
5 Poderes da Administração Pública.
5.1 Hierárquico, disciplinar,
regulamentar e de polícia.
5.2 Uso e abuso do poder.
6 Regime jurídico-administrativo.
6.1 Conceito.
6.2 Princípios expressos e implícitos da Administração Pública.
7 Responsabilidade civil do Estado.
7.1 Evolução histórica.
7.2 Responsabilidade civil do Estado no direito brasileiro.
7.2.1 Responsabilidade por ato comissivo do Estado.
7.2.2 Responsabilidade por omissão do Estado.
7.3 Requisitos para a demonstração da
responsabilidade do Estado.
7.4 Causas excludentes e atenuantes da responsabilidade do Estado.
7.5 Reparação do dano.
7.6 Direito de regresso.
8 Serviços públicos.
8.1 Conceito.
8.2 Elementos constitutivos.
8.3 Formas de prestação e meios de execução.
8.4 Delegação: concessão, permissão e autorização.
8.5 Classificação.
8.6 Princípios.
9 Organização administrativa.
9.1 Centralização, descentralização, concentração e desconcentração.
9.2 Administração direta e indireta.
9.3 Autarquias, fundações, empresas públicas e
sociedades de economia mista.
9.4 Entidades paraestatais e terceiro setor: serviços sociais autônomos,
entidades de apoio, organizações sociais, organizações da sociedade civil de interesse público.
10 Controle da Administração Pública.
10.1 Controle exercido pela Administração Pública.
10.2 Controle judicial.
10.3 Controle legislativo.
10.4 Improbidade administrativa: Lei nº 8. 429/1992.
11 Processo administrativo.
11.1 Lei nº 9. 784/1999.
12 Licitações e contratos administrativos.
12.1 Legislação pertinente.
12.1.1 Lei nº 8. 666/1993.
12.1.2 Lei nº 10. 520/2002 e demais disposições normativas relativas ao pregão.
12.1.3 Decreto nº 7. 892/2013 (sistema de registro de preços).
12.1.4 Lei nº 12. 462/2011 (Regime Diferenciado de
Contratações Públicas). Decreto nº 6. 170/2007, Portaria Interministerial MPOG/MF/CGU nº 507/2011 e Instrução Normativa do STN nº 1/1997 (convênios e instrumentos congêneres).
12.2 Fundamentos constitucionais.

DIREITO CIVIL

1 Lei de introdução às normas do direito brasileiro.
1.1 Vigência, aplicação, obrigatoriedade, interpretação e integração das leis.
1.2 Conflito das leis no tempo.
1.3 Eficácia das leis no espaço.
2 Pessoas naturais.
2.1 Conceito.
2.2 Início da pessoa natural.
2.3 Personalidade.
2.4 Capacidade.
2.5 Direitos da personalidade.
2.6 Domicílio.
3 Pessoas jurídicas.
3.1 Disposições Gerais.
3.2 Constituição.
3.3 Extinção.
3.4 Sociedades de fato.
3.5 Associações.
3.6 Fundações.
4 Bens imóveis, móveis e públicos.
5 Fato jurídico.
6 Negócio jurídico.
6.1 Disposições gerais.
6.2 Invalidade.
7 Prescrição.
7.1 Disposições gerais.
8 Decadência.
9 Obrigações.
9.1 Características.
9.2 Adimplemento pelo pagamento.
9.3 Inadimplemento das obrigações – disposições gerais e mora.
10 Contratos.
10.1 Princípios.
10.2 Contratos em geral.
10.3 Disposições gerais.
11 Responsabilidade civil objetiva e subjetiva.
11.1 Obrigação de indenizar.
11.2 Dano material.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL

1 Princípios do processo.
1.1 Princípio do devido processo legal.
1.2 Princípios do contraditório, da ampla defesa e do juiz natural.
2 Jurisdição.
3 Ação.
3.1 Condições da ação.
3.2 Classificação.
4 Atos judiciais.
4.1 Despachos, decisões interlocutórias e sentenças.
5 Coisa julgada material.
6 Controle judicial dos atos administrativos.

DIREITO PENAL

1 Princípios básicos.
2 Aplicação da lei penal.
2.1 A lei penal no tempo e no espaço.
2.2 Tempo e lugar do crime.
2.3 Lei penal excepcional, especial e temporária.
2.4 Territorialidade e extraterritorialidade da lei penal.
2.5 Contagem de prazo.
2.6 Interpretação da lei penal.
2.7 Analogia.
2.8 Irretroatividade da lei penal.
2.9 Conflito aparente de normas penais.
3 O fato típico e seus elementos.
3.1 Concurso de crimes.
3.2 Ilicitude e causas de exclusão.
3.3 Excesso punível.
3.4 Culpabilidade.
3.4.1 Elementos e causas de exclusão.
4 Imputabilidade penal.
5 Concurso de pessoas.
6 Crimes contra o patrimônio.
7 Crimes contra a fé pública.
8 Crimes contra a Administração Pública.
9 Lei nº 12. 850/2013 (Crime organizado).
10 Disposições constitucionais aplicáveis ao direito penal.

AUDITORIA GOVERNAMENTAL

1 Conceito, evolução.
1.1 Auditoria interna e externa: papéis.
1.2 Auditoria governamental segundo a INTOSAI (International Organization of Supreme Audit Institutions).
1.3 Auditoria interna segundo o IIA (Institute of Internal Auditors).
2 Governança no setor público.
2.1 Papel e importância.
2.2 Controles internos segundo o COSO I e o COSO II – ERM (Enterprise Risk Management).
3 Normas internacionais para o exercício profissional da auditoria.
3.1 Normas da INTOSAI: código de ética e princípios fundamentais de auditoria do setor público (ISSAIs 100, 200, 300 e 400) – disponível em:
http://portal.tcu.gov.br/fiscalizacao-e-controle/auditoria/issai-em-portugues.htm.
3.2 Normas do IIA: independência, proficiência e zelo profissional, desenvolvimento profissional contínuo.
4 Normas de auditoria do TCU (Portaria-TCU nº 280/2010).
5 Auditoria de regularidade e auditoria operacional.
6 Instrumentos de fiscalização: auditoria, levantamento, monitoramento, acompanhamento e inspeção.
7 Planejamento de auditoria.
7.1 Plano de auditoria baseado no risco.
7.2 Atividades preliminares.
7.3 Determinação de escopo.
7.4 Materialidade, risco e relevância.
7.5 Exame e avaliação do controle interno.
7.6 Risco inerente, de controle e de detecção.
7.7 Risco de auditoria
7.8 Matriz de Planejamento.
7.9 Programa de auditoria.
7. 10 Papéis de trabalho.
7. 11 Testes de auditoria.
7. 12 Importância da amostragem estatística em auditoria.
8 Execução da auditoria.
8.1 Técnicas e procedimentos: exame documental, inspeção física, conferência de cálculos, observação, entrevista, circularização, conciliações, análise de contas contábeis, revisão analítica.
9 Evidências.
9.1 Caracterização de achados de auditoria.
9.2 Matriz de Achados e Matriz de Responsabilização.
10 Comunicação dos resultados: relatórios de auditoria.
11 Monitoramento.
12 Documentação da auditoria.
13 Supervisão e Controle de Qualidade.
14 Procedimentos em processos de prestação de contas da Administração Pública Federal.
14.1 Peças e conteúdos do processo de contas e do relatório de gestão, conforme disposto na IN n. º 63/2010.

ANÁLISE DE INFORMAÇÕES

1 Dado, informação, conhecimento e inteligência. Dados estruturados e não
estruturados. Dados abertos. Coleta, tratamento, armazenamento, integração e recuperação de dados.
2 Banco de dados relacionais: conceitos básicos e características. Metadados. Tabelas, visões (views) e índices. Chaves e relacionamentos.
3 Noções de modelagem dimensional: conceito e aplicações.
4 Noções de mineração de dados: conceituação e características. Modelo de referência CRISP-DM. Técnicas para préprocessamento de dados. Técnicas e tarefas de mineração de dados. Classificação. Regras de associação. Análise de agrupamentos (clusterização). Detecção de anomalias. Modelagem preditiva. Aprendizado de máquina. Mineração de texto.
5 Noções de Big Data: conceito, premissas e aplicação.
6 Visualização e análise exploratória de dados.
7 Noções de sistemas de informação da Administração Pública Federal: SIAFI, SIASG e SICONV. Finalidade. Principais informações.
8 Lei de Acesso a Informação (Lei nº 12. 527/2011): conceitos e aplicação.

NOÇÕES DE ECONOMIA DO SETOR PÚBLICO E DA REGULAÇÃO

1 Introdução: o sistema de contas nacionais e as identidades macroeconômicas básicas.
1.1 Produto agregado e os problemas de mensuração.
1.2 Produto nominal x produto real.
1.3 Contas do sistema monetário.
1.4 Noções básicas do balanço de pagamentos.
2 O modelo keynesiano básico: o multiplicador e o papel dos gastos do governo.
3 O modelo IS/LM: impactos das políticas monetária e fiscal.
3.1 Políticas macroeconômicas em diferentes regimes cambiais.
3.2 A avaliação do gasto público.
3.3 O financiamento do setor público no Brasil.
3.4 Conceitos de regulação, desregulação e re-regulação.
4 Teoria econômica de indústrias reguladas.
5 Estrutura de mercado, concorrência perfeita e monopolística, oligopólio, monopólio.
6 Falhas de mercado, externalidades, bens públicos, assimetria de informação (seleção adversa e perigo moral).
7 Regulação e formação de preços para estruturas de mercado de concorrência imperfeita.
8 Conceitos básicos sobre regimes tarifários.
9 Tarifação por custo de serviço.
10 Tarifação por preço teto.
11 Regulação por incentivos.
12 Regulação para competição.

CONTABILIDADE – I CONTABILIDADE GERAL

1 Princípios Contábeis Fundamentais (aprovados pelo Conselho Federal de Contabilidade pela Resolução CFC n. º 750/1993, atualizada pela Resolução CFC nº 1. 282/2010.
2 Deliberação CVM nº 29, de 05/02/86: estrutura conceitual básica da Contabilidade.
3 Principais grupos usuários das demonstrações contábeis.
3.1 As responsabilidades da administração da entidade e do auditor
independente.
3.2 O parecer do auditor independente.
3. 3 NBC T 11 – Normas de Auditoria Independente das Demonstrações Contábeis.
4 Diferença entre regime de competência e regime de caixa.
4.1 Informações sobre origem e aplicação de recursos.
5 Patrimônio.
5.1 Componentes patrimoniais: Ativo, Passivo e Situação Líquida (ou Patrimônio Líquido).
6 Equação fundamental do Patrimônio.
7 Fatos contábeis e respectivas variações patrimoniais.
8 Conta: conceito.
8.1 Débito, crédito e saldo.
8.2 Função e estrutura das contas.
8.3 Contas patrimoniais e de resultado.
9 Balancete de verificação.
10 Apuração de resultados.
10.1 Controle de estoques e do custo das vendas.
11 Escrituração.
11.1 Sistema de partidas dobradas.
11.2 Escrituração de operações típicas.
12 Livros de escrituração: Diário e Razão.
12.1 Erros de escrituração e suas correções.
13 Balanço patrimonial: obrigatoriedade e apresentação.
13.1 Conteúdo dos grupos e subgrupos.
14 Classificação das contas.
14.1 Critérios de avaliação do Ativo e do Passivo.
14.2 Avaliação de investimentos.
14.3 Levantamento do Balanço patrimonial.
15 Demonstração do resultado do exercício: estrutura, características e elaboração.
16 Demonstração de lucros ou prejuízos acumulados: forma de
apresentação.
17 Demonstração de Mutações do Patrimônio Líquido: forma de apresentação.
18 Relatório Anual da Administração.
18.1 Notas explicativas às demonstrações contábeis.
18.2 Conselho fiscal: competência, deveres e responsabilidades, de acordo com a Lei nº 6. 404/1976.
19 Demonstração de Fluxos de Caixa: métodos direto e indireto.
20 Aspectos contratuais da Contabilidade.
20.1 Relação Agente e Principal.

CONTABILIDADE – II ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

1 Retorno sobre o capital empregado: componentes, retorno sobre o Ativo, alavancagem financeira e retorno sobre o Patrimônio Líquido.
1.1 Economic Value Aded – EVA (Lucro Residual). Ebitda. Indicadores.
2 Análise da lucratividade: análise da formação do resultado, análise da Receita, análise dos custos dos produtos vendidos/serviços prestados,
análise das despesas e análise da variação.
2.1 Indicadores.
3 Análise de liquidez: análise do fluxo de caixa,
análise do ciclo operacional e análise do ciclo financeiro.
3.1 Indicadores.
4 Análise da estrutura de capital e da solvência.
4.1 Indicadores e medidas de solvência.
5 Informações extraídas das Notas Explicativas.
6 Análise horizontal e vertical.
6.1 Análise de tendências.
6.2 Grupos de comparação.
7 Indicadores de mercado.
8 Limitações da análise por indicadores.
9 Considerações de natureza não-financeira (qualitativa).
10 Noções de Auditoria financeira (Normas Técnicas de Auditoria – NBC TA).
10.1 Estrutura conceitual.
10.2 Objetivos gerais da auditoria do auditor independente e a condução da auditoria em conformidade com
normas de auditoria.
10.3 Documentação de auditoria.
10.4 Planejamento da auditoria de demonstrações contábeis.
10.5 Resposta do auditor aos riscos avaliados
10.6 Evidência de auditoria
10.7 Formação da opinião e emissão do relatório de auditoria.

CONTABILIDADE – III CONTABILIDADE DE CUSTOS

1 Sistemas de custos: terminologia aplicada à Contabilidade de Custos, terminologia em entidades não industriais.
2 Classificação de custos.
2.1 Custos diretos: custos fixos e variáveis.
2.2 Distinção entre custos e despesas.
2.3 Custos indiretos: alocação e determinação da base para alocação.
2.4 Custos indiretos: custos fixos e variáveis.
3 Métodos de custeio: por absorção, direto ou variável e ABC (Custeio Baseado por Atividades).
3.1 Definição, principais características, diferenciação, vantagens e desvantagens de cada método.

CONTABILIDADE -IV CONTABILIDADE PÚBLICA

1 Contabilidade pública: campo de aplicação, objeto e objetivos.
1.1 Título IX da Lei nº 4. 320/1964.
1. 2 Tópicos selecionados da Lei Complementar nº 101/2000: conceitos de dívida pública e restos a pagar, escrituração e consolidação das contas.
2 Gestão organizacional da contabilidade pública no Brasil:
papéis da Secretaria do Tesouro Nacional e dos órgãos setoriais de Contabilidade constantes da Lei nº 10. 180/2001.
3 Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI): conceito, objetivos, usuários e segurança do sistema (princípios e instrumentos).
4 Balanço patrimonial de acordo com a Lei nº 4. 320/1964: estrutura, características dos ativos e passivos e das contas de compensação.
5 Balanço orçamentário de acordo com a Lei nº 4. 320/1964: estrutura, características das receitas e despesas orçamentárias.
5.1 Interpretação do resultado orçamentário.
5. 2 Relatório resumido da execução orçamentária a que se refere à Lei Complementar nº 101/2000: estrutura, composição.
6 Demonstração das variações patrimoniais, de acordo com a Lei nº 4. 320/1964: estrutura, características das interferências,
mutações, superveniências e insubsistências.
6.1 Receitas e despesas efetivas e não-efetivas.
6.2 Interpretação do resultado patrimonial.
7Balanço financeiro de acordo com a Lei nº 4. 320/1964: estrutura,
características das receitas e despesas extraorçamentárias.
7.1 Interpretação do resultado financeiro.
8 Relatório de gestão fiscal de acordo com a Lei Complementar nº 101/2000: estrutura, composição.
9 Decreto 6. 976/2009 (sistema de contabilidade federal).
10 NBCASP (Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao
Setor Público): NBC T 16.1 a 16.11 do Conselho Federal de Contabilidade.
11 Manual de Contabilidade do Setor Público, 6ª Ed. (Portaria Conjunta STN/SOF nº 1 de 10/12/2014)

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

1 Funções do Governo.
1.1 Falhas de mercado e produção de bens públicos.
1.2 Políticas econômicas governamentais (alocativa, distributiva e estabilizadora).
1.3 Federalismo Fiscal.
2 Orçamento público: conceitos e princípios.
2.1 Evolução conceitual do orçamento público.
2.2 Orçamento-Programa: fundamentos e técnicas.
3 Orçamento público no Brasil: Títulos I, IV, V e VI da Lei nº 4. 320/1964.
3. 1 Orçamento na Constituição de 1988: Plano Plurianual (PPA), Lei
de Diretrizes Orçamentárias (LDO), Lei Orçamentária Anual (LOA).
3.2 Leis de Créditos Adicionais.
4 Plano Plurianual (PPA): estrutura, base legal, objetivos, conteúdo, tipos de programas.
4.1 Decreto nº 2. 829/1998.
5 Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO): objetivos, Anexos de Metas Fiscais, Anexos de Riscos Fiscais, critérios para limitação de empenho.
6 Classificações orçamentárias.
6.1 Classificação da despesa pública: institucional, funcional, programática, pela natureza.
6.2 Classificação da receita pública: institucional, por categorias econômicas, por fontes.
7 Ciclo orçamentário: elaboração da proposta, discussão, votação e
aprovação da lei de orçamento.
7.1 Execução orçamentária e financeira: estágios e execução da despesa
pública e da receita pública.
7.2 Programação de desembolso e mecanismos retificadores do orçamento.
7.3 Conta Única do Tesouro Nacional: conceito e previsão legal.
8 Gestão organizacional das finanças públicas: sistema de planejamento e orçamento e de programação financeira constantes da Lei nº 10. 180/2001.
9 Tópicos selecionados da Lei Complementar nº 101/2000: princípios, conceitos, planejamento, renúncia de receitas, geração de despesas, transferências voluntárias, destinação de recursos para o setor privado,
transparência da gestão fiscal, prestação de contas e fiscalização da gestão fiscal.

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

1 Administração Pública: do modelo racional-legal ao paradigma pósburocrático.
1.1 O Estado oligárquico e patrimonial, o Estado autoritário e burocrático, o Estado do bem estar, o Estado regulador.
2 Empreendedorismo governamental e novas lideranças no setor público.
2.1 Processos participativos de gestão pública: conselhos de gestão, orçamento participativo, parceria entre governo e sociedade.
3 Transparência da Administração Pública.
3.1 Controle social e cidadania.
3.2 Accountability.
4 Excelência nos serviços públicos.
4.1 Gestão por resultados na produção de serviços públicos.
4.2 Gestão de Pessoas por Competências.
5 Comunicação na gestão pública e gestão de redes organizacionais.
6 Governabilidade e governança.
6.1 Intermediação de interesses (clientelismo, corporativismo e neocorporativismo).
7 Mudanças institucionais: conselhos, Organizações Sociais, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), agência reguladora, agência executiva.
8 Processo de formulação e desenvolvimento de políticas: construção de agendas, formulação de políticas, implementação de políticas.
9 As políticas públicas no Estado brasileiro contemporâneo.
9.1 Descentralização e democracia.
9.2 Participação, atores sociais e controle social.
9.3 Gestão local, cidadania e equidade social.
9.4 Corrupção e políticas públicas: fatores que influenciam a incidência de corrupção e fatores que promovem a qualidade das políticas públicas.
10 Planejamento e avaliação nas políticas públicas: conceitos básicos de planejamento.
10.1 Aspectos administrativos, técnicos, econômicos e financeiros.
10.2 Formulação de programas e projetos.
10.3 Avaliação de programas e projetos.
10.4 Tipos e modelos de avaliação de políticas públicas.
10.5 Análise custo benefício e análise custo-efetividade.
10.6. Indicadores de políticas públicas.
10.7 Coleta, análise e interpretação de informações quantitativas e
qualitativas para avaliação de programas governamentais.
11 O ciclo do planejamento em organizações (PDCA).
12 Balanced Scorecard (BSC): principais conceitos, aplicações, mapa estratégico, perspectivas, temas estratégicos, objetivos estratégicos, relações de causa e efeito, indicadores, metas, iniciativas estratégicas.
13 Referencial Estratégico das Organizações.
13.1 Análise de ambiente interno e externo.
13.2 Ferramentas de análise de ambiente: análise swot, análise de cenários, matriz GUT.
13.3 Negócio, missão, visão de futuro, valores.
14 Indicadores de desempenho.
14.1 Tipos de indicadores.
14.2 Variáveis componentes dos indicadores.

Como se preparar para o concurso TCU e outras oportunidades na área

Ser aprovado no concurso do TCU é uma grande vitória para qualquer candidato. Caso você queira enfrentar este concurso, vale muito a pena conferir as dicas dos especialistas.

No vídeo abaixo, os Auditores do TCU Erick Alves, Daniel Negreiros e Jetro Coutinho batem um papo com o ex-auditor do TCU (e atual consultor do Senado) Marcel Guimarães, bem como com o primeiro colocado no TCE/PE, Arthur Mendonça. Confira as dicas:

Painel dos concursos 2019 – área de controle

Dentre as outras oportunidades para quem se interessa pelo TCU, merecem destaque os seguintes concursos, previstos para o ano de 2019 (saiba mais clicando nos links):

Conheça melhor o TCU

C:\Users\admin\Desktop\Imagens\tcu.png

O Tribunal de Contas da União é um órgão vinculado ao Poder Legislativo. Não há necessariamente uma hierarquia entre o Congresso e o TCU.

O Tribunal é um órgão de controle externo, fiscalizando a utilização das verbas públicas federais. Entre suas principais responsabilidades, temos a de apreciar anualmente as contas prestadas pelo Presidente da República, elaborando parecer prévio ao julgamento pelo Congresso Nacional.

Além da já citada responsabilidade acima, também é de competência do TCU, de acordo com a Constituição Federal:

C:\Users\admin\Downloads\tabela-ibge-1 (3).png

Veja no quadro anterior que, simplificando, se há dinheiro público envolvido, há a atuação do Tribunal de Contas para garantir o bom uso e a transparência das contas públicas.

Resumo do Concurso TCU

Conheça os cursos completos do Direção para o Concurso TCU com garantia de atualização até a prova

Victor Gammaro
Victor Gammaro Jornalista formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Trabalhou durante dois anos em agência de comunicação, além de experiência de três anos na redação do Correio Braziliense, como repórter da editoria de esportes. Entre outros eventos de relevância, cobriu as Olimpíadas do Rio de Janeiro, Copa do Mundo da Rússia e as Eleições Federais, em 2018. É supervisor de conteúdo no Blog do Direção Concursos, onde é, também, responsável pela apresentação e produção do webjornal semanal. Veja outras publicações do autor
#concurso auditor #concurso tcu #concurso tribunais #concursos #concursos 2019 #concursos previstos #concursos públicos #direção concursos #edital tcu
Comentários

Cursos

Pacote Completo para Auditor de Controle Externo da área de Auditoria Governamental do TCU

Time837.5h YoutubeVídeos - 837.5 PDFPDF - 335
Saiba Mais

Pacote de Conhecimentos Básicos para TCDF + TCU

Time737.5h YoutubeVídeos - 737.5 PDFPDF - 295
Saiba Mais

Pacote Completo para Auditor do TCDF + TCU

Time1137.5h YoutubeVídeos - 1137.5 PDFPDF - 455
Saiba Mais

Português para Auditor da área de Auditoria Governamental do TCU

Time52.5h YoutubeVídeos - 52.5 PDFPDF - 21
Saiba Mais


Assine a nossa newsletter e fique por dentro dos novos editais!

Notícias Relacionadas

Central de Atenção ao Aluno