Concursos Abertos Concursos 2020

Concurso TJ RJ: publicado regulamento

Maurício Miranda Sá Maurício Miranda Sá comentários
08/11/2019, às 09:15 • 2 semanas atrás

				<![CDATA[]]>

O concurso TJ RJ deve ter edital publicado tão logo, como já é de conhecimento de boa parte dos concurseiros.

Um passo a mais pode ter sido dado neste sentido: a publicação do regulamento que dispõe sobre concursos públicos no órgão.

Veja:

O regulamento trata de concurso público para os cargos abaixo descritos:

  • Técnico de Atividade Judiciária, sem especialidade, do grupo nível médio;
  • Analista Judiciário, sem especialidade, do grupo nível superior;
  • Analista Judiciário especialidade Contador, do grupo gestão;
  • Analista Judiciário especialidade Execução de Mandados, do grupo judicial;
  • Analista Judiciário especialidade Psicólogo, do grupo assistencial;
  • Analista Judiciário especialidade Assistente Social, do grupo assistencial;
  • Analista Judiciário especialidade Comissário de Justiça da Infância, da Juventude e do Idoso, do grupo judicial;
  • Analista Judiciário especialidade Médico, do grupo assistencial;
  • Analista Judiciário especialidade Médico Psiquiatra, do grupo assistencial;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Negócios, do grupo tecnologia da informação;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Infraestrutura, do grupo tecnologia da informação;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Projetos, do grupo tecnologia da informação;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Segurança da Informação, do grupo tecnologia da informação;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Sistemas, do grupo tecnologia da informação;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Gestão de TIC, do grupo tecnologia da informação.

O concursos para os referidos cargos serão regidos por esta Resolução e seus respectivos editais, que deverão ser publicados no Diário de Justiça Eletrônico do TJ RJ.

Escolaridade

O cargo de Técnico Judiciário é de nível médio ou técnico, e os cargos de Analista exigem nível superior em diversas especialidades.

Informações importantes

O artigo quarto da Resolução 08/2019 dispõe que os concursos serão independentes e divididos por cargos e suas especialidades, podendo ser divididos em até 11 regiões, permitindo ao candidato a inscrição em apenas uma (1) delas por especialidade.

Cadastro de reservas

O artigo sétimo trata sobre o cadastro de reservas e diz que os aprovados poderão ser convocados, observadas a conveniência e oportunidade da Administração, além da disponibilidade financeira do órgão e verificada a validade do certame.

Etapas

Já o artigo oitavo fala das etapas pelas quais passarão os candidatos, e aponta que todos os concursos para os cargos trazidos na resolução deverão ter as seguintes etapas, obrigatoriamente:

  • I – prova objetiva de conhecimentos técnicos, de natureza eliminatória e classificatória
  • IV – comprovação de sanidade física e mental, de natureza eliminatória;
  • V – comprovação dos requisitos à investidura no cargo, de natureza eliminatória.

Duas etapas podem, ainda, de acordo com a vontade do órgão, estar presentes nos editais. São elas:

  • II – prova discursiva, de natureza classificatória e eliminatória;
  • III – exame de títulos, para cargos de nível superior, de natureza classificatória;

Discursivas no concurso TJ RJ

O artigo vinte e três indica que, a depender da vontade do órgão e do cargo, o concurso TJ RJ analisará a necessidade de os candidatos se submeterem à prova discursiva.

Recursos

A resolução traz, ainda, em quais casos serão admitidos recursos. Veja:

  • I – questões de prova;
  • II – gabaritos;
  • III – pontuação;
  • IV – posicionamento na listagem final.

Para ver a Resolução Nº 08/2019 na íntegra, basta acessar este link.

concurso tj rj regulamento concurso tj rj

Maurício Miranda Sá

Jornalista no Direção Concursos e Servidor Público Federal lotado no TSE (Tribunal Federal Eleitoral), estudou Jornalismo, Rádio e TV na UFRN, Publicidade na UNP, Gerenciamento de Projetos pela ESPM e atuou como assessor de comunicação em diversos órgãos e instituições, como o Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contras as Secas), Sindifern (Sindicato dos Auditores Fiscais do RN) e, por cinco anos, foi responsável pela divisão de comunicação da empresa Temos Casa e Art Design, produtos que desenvolveu, produziu e dirigiu no Rio Grande do Norte, sendo um complexo de comunicação com programa de TV, programete de Rádio, revista e portal na internet.