Concursos Abertos Concursos 2021

Concurso TJ SP: servidores temem retorno presencial e anunciam greve

Maurício Miranda Sá Maurício Miranda Sá comentários
28/07/2020, às 10:33 • 2 meses atrás

O funcionários do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ SP) não retomarão o trabalho presencial, durante a pandemia de Covid-19.

Essa decisão foi dada pela Federação das Entidades de Servidores Públicos do Estado de São Paulo (Fespesp), na segunda-feira (27/7), em assembleia virtual.

Segundo afirma o grupo: “Não é hora da volta ao trabalho presencial que deveria ter seu prazo estendido e com segurança, sem o que, ficaria o maior Tribunal de Justiça da América Latina, responsável por uma ampliação da pandemia com risco de vida dos servidores e de suas famílias.”

Resposta do TJ SP

Apesar do anúncio de greve, a assessoria de imprensa do órgão comunica que ainda é cedo para um posicionamento oficial acerca dessa informação, mas respondeu:

  • “Há a necessidade de se computar a adesão e esse ato não tem como ser feito nesse momento (1º dia de retorno ao trabalho), já que muitos servidores (a maioria) continuam em trabalho remoto. O TJ-SP destaca que tomou e toma todas as cautelas necessárias para a preservação da vida das pessoas e todas as suas ações foram e são voltadas para essa finalidade, inclusive com os materiais de prevenção disponibilizados em todos os seus prédios.”

Nesta matéria, você irá conferir o comunicado emitido pela Fespesp. Por enquanto, saiba que você pode estudar para o próximo concurso TJ SP, bem como para outros órgãos da área de tribunais, pagando um preço que cabe no seu bolso:

Assinatura ilimitada

Com a Assinatura Ilimitada, você terá acesso a vários pacotes completos de cursos para concursos públicos de diversos órgãos e esferas.

Não só isso, mas você utilizará da nossa ferramenta inédita e exclusiva: o PDF 2.0. Todos os problemas que um concurseiro pode imaginar, o PDF 2.0 resolve. Ainda há a opção de pagamento recorrente!

Então, clique abaixo e confira:

TJ SP: comunicado oficial Fespesp!

A FESPESP – Federação das Entidades de Servidores Públicos do Estado de São Paulo e o conjunto das entidades representativas dos servidores do Poder Judiciário, abaixo relacionadas, comunicam a V.Exa. que, em Assembleia Geral realizada nesta data, os servidores do Tribunal de Justiça (TJ SP) decidiram entrar em greve sanitária e ambiental a partir do próximo dia 27 deste mês, contra a volta ao trabalho presencial, pelas razões que seguem.

Essa decisão foi tomada depois de horas de debate e pela constatação do avanço do covid-19 no Estado de São Paulo, com várias cidades no pico da doença e com o sistema de saúde em colapso.

Mesmo na Capital do Estado, Comarca de São Paulo, apesar da manutenção dos casos em linha constante, estamos distantes de uma diminuição de casos, mantida a gravidade, especialmente com a abertura determinada pelo Governo do Estado.

Apesar dos cuidados anunciados por Vossa Excelência, os servidores do TJ SP se sentem inseguros e diríamos até mesmo aterrorizados com a possibilidade de contaminação durante a trabalho presencial, haja vista que o deslocamento para o local de trabalho significa risco iminente de contaminação dos servidores e de seus familiares e que, mesmo assintomáticos poderão estar infectando os que estão a sua volta.

Entendemos que não é hora da volta ao trabalho presencial que deveria ter seu prazo estendido e com segurança, sem o que, ficaria o maior Tribunal de Justiça da América Latina, responsável por uma ampliação da pandemia com risco de vida dos Servidores e de suas famílias.

Por último, reiteramos, mais uma vez, a V. Exa. a possibilidade de reunião virtual com as Entidades, para juntos podermos encontrar outras soluções e discutir melhor a gravidade do momento.

São Paulo, 24 de julho de 2020.

TJ SP: entidade representativas assinam documento

Diversas entidades representativas dos servidores do TJ SP assinaram o documento acima descrito:

  • Pública Central do Servidor
  • FESPESP – Federação das Entidades de Servidores Públicos do Estado de São Paulo
  • FENAJUD – Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário nos Estados
  • AASPSI Brasil – Associação Nacional dos Assistentes Sociais e Psicólogos da Área Sociojurídica
  • AASPTJ-SP – Associação dos Assistentes Sociais e Psicólogos do TJSP,
  • AECOESP – Associação dos Escreventes Técnicos Judiciários do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
  • AFFI – Associação da Família Forense de Itapetininga
  • AFFOCOS – Associação da Família Forense da Comarca de Sorocaba
  • AFFOPPRE – Associação da Família Forense de Presidente Prudente e Região, Presidente Prudente
  • AFOCA – Associação Forense da Comarca de Assis e Região
  • AJESP FRANCA – Associação dos Servidores do Judiciário do Estado de São Paulo
  • AOJESP- Associação dos Oficiais de Justiça do Estado de São Paulo,
  • APATEJ – Associação Paulista dos Técnicos do Judiciário
  • ASJCOESP – Associação dos Serventuários da Justiça dos Cartórios Oficiais do Estado de São Paulo
  • ASSETJ – Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
  • ASSISJESP – Associação Ituveravense Dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
  • ASSOJUBS – Associação de Base dos Trabalhadores do Judiciário do Estado de São Paulo
  • ASSOJURIS – Associação dos Servidores do Poder Judiciário do Estado de São Paulo
  • SINDJESP- Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Estadual das Cidades de Caieiras e São Paulo
  • SINJURIS – Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Judiciário Estadual
  • SINSPJUD – Sindicato dos Trabalhadores e Servidores do Poder Judiciário Paulista nas Regiões de Sorocaba e Região
  • SINTRAJUS – Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Judiciário Estadual na Baixada Santista, Litoral e Vale do Ribeira do Estado de São Paulo.
senado e mais
Confira os cursos do Direção para este concurso

Concurso TJ SP: últimas informações

A última informação sobre o concurso TJ SP é de que o prazo de validade da seleção de 2017 está suspenso até o término do estado de calamidade pública (31 de dezembro de 2020).

A comissão de aprovados do órgão comemorou a decisão do tribunal, visto que aguarda a nomeação de todos os candidatos aprovados nas fases de provas objetiva e de digitação, realizada pelo TJ SP.

Lembra-se que naquele ano foram aplicadas duas provas: uma para do concurso TJ SP capital, com 590 vagas imediatas, outra para o interior, com 235 vagas imediatas.

Até quando ficarão suspensos?

Muitos devem se perguntar: “até quando ficarão suspensas essas seleções?”. Bem, esse é um questionamento que figura na mente daqueles que já se preparam para um novo concurso TJ SP.

O Direção Concursos fez a conta e mostra, logo abaixo, até quando vai a validade dos referidos certames. Veja:

Concurso TJ SP – CAPITAL

O concurso teve validade suspensa a partir do dia 28 de maio deste ano (2020), mas tinha validade até o dia 12 de dezembro do mesmo ano. Assim, faltavam pouco menos de sete (7) meses para perder a validade (198 dias, para ser exato).

Agora, com o prazo suspenso até dia 31 de dezembro, o concurso volta a ficar vigente no dia 1 de janeiro de 2021. Portanto, o concurso TJ SP ficará vigente até meados de julho de 2021. Até lá, o órgão NÃO está impedido de nomear em cargos originários de vacâncias (aposentadoria, morte, posse inacumulável em outro cargo, por exemplo).

Concurso TJ SP – INTERIOR

O concurso do interior, por sua vez, também teve prazo de validade suspenso a partir do dia 28 de maio deste ano (2020), Porém, sua vigência estava prevista para o dia 6 de março (2021). Então, nesse caso, o concurso estaria válido por pouco menos de 10 meses (282 dias, para ser exato).

Desse modo, com o prazo suspenso até dia 31 de dezembro, o concurso volta a ficar vigente também no dia 1 de janeiro de 2021, o que faz com que a vigência da seleção siga até meados de outubro/novembro 2021. Ressalta-se que, assim como no concurso da capital, o órgão NÃO está impedido de nomear em cargos originários de vacâncias (aposentadoria, morte, posse inacumulável em outro cargo, por exemplo).

Concurso TJ SP: carreira

Com mais de 5,3 mil cargos de escrevente judiciário vagos, o TJ SP tem um alto deficit de servidores. Só em 2020, por exemplo, mais de 800 cargos ficaram vagos no órgão.

Portanto, mesmo com a nomeação de todos os remanescentes do concurso de 2017, os excedentes não seriam capazes de preencher essas lacunas.

Para ingressar como escrevente, baste ter o nível médio de escolaridade. A jornada de trabalho é de 40h semanais. O salário inicial dos servidores é bastante superior à média nacional, atingindo o valor de R$ 6.112,10.

O valor ainda pode aumentar, caso você tenha nível superior, pós-graduação, mestrado ou doutorado. Veja:

  • Nível superior: adicional de 5%
  • Pós-graduação: adicional de 7,5%
  • Mestrado: adicional de 10%
  • Doutorado: adicional de 12,5%

Concurso TJ SP 2017: etapas e conteúdos cobrados

Como dito anteriormente, a últimas provas do concurso TJ SP, tanto para a capital, como para o interior, foram aplicadas pela banca Vunesp, uma em 2017, outra em 2018, com previsão de 590 e 235 vagas, respectivamente.

Apesar do já ato número de vagas, muitos candidatos aprovados além das vagas ofertadas já foram nomeados e centenas de excedentes aguardam suas nomeações. Essa é uma excelente porta de entrada no serviço público em São Paulo.

Naquele ano, foram aplicadas provas em duas fases: uma de provas objetivas, outra de teste prático de digitação. As disciplinas sobradas foram as seguintes:

  • Português;
  • Penal;
  • Processo penal;
  • Processo Civil;
  • Constitucional;
  • Administrativo;
  • Normas da Corregedoria;
  • Atualidades;
  • Matemática;
  • Informática;
  • Raciocínio Lógico.

Os editais ainda trouxeram o quantitativo de questões que seria exigida em cada uma das disciplinas trazidas no edital, o que facilita muito o estudo dos candidatos.

Veja o resumo:

As principais notícias, avisos de eventos e dicas de estudo estão no Instagram do Direção Concursos: clique e confira!

concurso estadual concurso tj sp concursos estaduais tj sp

Maurício Miranda Sá

Jornalista no Direção Concursos e Servidor Público Federal lotado no TSE (Tribunal Federal Eleitoral), estudou Jornalismo, Rádio e TV na UFRN, Publicidade na UNP, Gerenciamento de Projetos pela ESPM e atuou como assessor de comunicação em diversos órgãos e instituições, como o Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contras as Secas), Sindifern (Sindicato dos Auditores Fiscais do RN) e, por cinco anos, foi responsável pela divisão de comunicação da empresa Temos Casa e Art Design, produtos que desenvolveu, produziu e dirigiu no Rio Grande do Norte, sendo um complexo de comunicação com programa de TV, programete de Rádio, revista e portal na internet.