Logo Direção Concursos
Pesquisa

Concurso Polícia Penal PE: o que fazem os servidores? Edital próximo

Concurso Polícia Penal PE: o que fazem os servidores? Edital próximo

A tarde do último dia 5 de julho reservou uma notícia muito boa para aqueles que sonham em ingressar como policial penal em Pernambuco. Isso porque o secretário de segurança pública, Pedro Eurico, reafirmou a autorização do concurso Polícia Penal PE.

Mas não foi só isso! Eurico informou que isso pode acontecer a qualquer momento. Os detalhes foram ditos durante encontro com a delegada Gleide Ângelo, realizado no dia 3 de julho de 2021.

Com essa notícia, muitos querem saber o que faz um agente penitenciário (policial penal). Foi pensando nisso que a equipe do Direção Concursos trouxe as atribuições dos ocupantes desse cargo. Confira a seguir.

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre editais de concurso público? O Direção Concursos preparou um grupo no Telegram com as principais notícias policiais. Clique aqui e participe!

CURSOS PARA CONCURSOs públicos

Concurso Polícia Penal PE: o que fazem os servidores?

De acordo com o último edital do concurso Polícia Penal PE, publicado em 2017 para o provimento de 87 vagas, as atribuições dos ocupantes dos cargos são as seguintes:

  • efetuar a fiscalização e procedimentos necessários à garantia da ordem, da segurança e da legalidade no âmbito das unidades prisionais, nos termos de sua competência legal visando assegurar a ressocialização dos presos;
  • fiscalizar o trabalho e o comportamento da população carcerária para melhor readaptar os reclusos, dando suporte à sua ressocialização, realizando inspeções e revistas, no intuito de zelar pelo cumprimento dos regulamentos e normas próprias do Sistema Penitenciário e Unidades Prisionais pelos presos, em conformidade com a Lei de Execução Penal, Lei Federal nº 7.210, de 11 de julho de 1984;
  • efetuar ou acompanhar a revista e inspeção de presos, como também participar da revista aos visitantes, servidores e demais funcionários e seus pertences para garantir a integridade física não só dos presos, mas, também, de todos que laborem nas Unidades Prisionais;
  • executar serviços prisionais de fiscalização, ou acompanhamento, ou monitoramento, ou condução, ou escolta interna e ainda escolta externa e custódia na prestação de serviço no Sistema Penitenciário e serviços correlatos integrados aos órgãos de segurança;
  • atuar com as atividades de inteligência voltadas para segurança das Unidades Prisionais, da custódia de presos, bem como em todos os fatos que incidam em indícios de crimes cuja autoria seja proveniente de pessoas integrantes da população do Sistema Prisional;
  • acompanhar e fiscalizar a realização do controle e vigilância do preso durante o período de tempo no qual se fizer necessário sua movimentação interna, externa ou a sua permanência em local diverso do estabelecimento penal, desde que devidamente autorizado pela autoridade competente, no intuito de melhor receber os apenados em estabelecimentos penais;
  • realizar ou acompanhar a contagem de presos, zelar pela disciplina e segurança de detentos;
  • efetuar rondas periódicas armadas, diurnas e noturnas, nos diversos postos de serviços, no âmbito das Unidades Prisionais;
  • advertir os internos quando necessário, informar as transgressões disciplinares dos presos aos seus superiores para as providências legais cabíveis, a fim de assegurar o cumprimento das normas, procedimentos e regras estabelecidas;
  • atender, controlar e fiscalizar o fluxo de visitantes, conforme determinações suplementares da SERES;
  • manter sigilo quanto às questões relacionadas às atividades e assuntos pertinentes ao Sistema Penitenciário;
  • realizar a fiscalização, controlar o trabalho, bem como de forma conjunta com o quadro designado pela SERES, acompanhar as refeições, o recreio, as atividades dos presos, zelando pelo asseio dos blocos e pela disciplina, a fim de evitar irregularidades e perturbações, no intuito de evitar rebeliões, motins, agressões físicas e sinistros;
  • informar aos seus superiores as ocorrências de seu turno de trabalho, realizar e participar da elaboração de relatórios para melhorar a segurança e disciplina no âmbito do estabelecimento prisional;
  • efetuar a condução, custódia e escoltas de detentos requisitados por ordem judicial para audiências judiciais e julgamentos, para a realização de consultas médicas ambulatoriais, urgências e emergências médicas (socorros), realização de exames médicos ou laboratoriais, conforme a Lei de Execuções Penais, quando necessário, com apoio da Polícia Militar de Pernambuco e eventualmente da Polícia Federal;
  • promover a distribuição ou fiscalização de presos nas celas; realizar cumulativamente a identificação, a qualificação e o cadastro dos presos, mantendo atualizados os sistemas de informações, na medida de suas competências, ou coordenando a execução desse serviço;
  • auxiliar aos superiores na coordenação de atividades internas do Sistema Penitenciário;
  • comunicar e solicitar que sejam registradas as ocorrências em livro próprio do seu local de trabalho e informá-las aos seus superiores;
  • verificar as condições físicas e de segurança dos estabelecimentos penais e prisionais;
  • colaborar com os setores técnicos do quadro designado pela SERES objetivando viabilizar a consecução das atividades e projetos voltados para a recuperação e reinserção do preso na sociedade, de acordo com o que dispõe a legislação e as diretrizes contidas na legislação pertinente;
  • conduzir veículos xadrez para transporte de presos e de atendimento aos serviços do Sistema Penitenciário, desde que devidamente capacitado e possua Carteira Nacional de Habilitação na categoria exigida pela legislação de trânsito vigente, e zelar pelo veículo sob sua responsabilidade;
  • verificar sempre nos veículos (viaturas) do Sistema Penitenciário a segurança, trafegabilidade, condução, ventilação, as condições de utilização e salubridade condizentes com o transporte de presos;
  • comunicar quaisquer alterações nos veículos (viaturas) do Sistema Penitenciário imediatamente ao superior, fazendo constá-las no devido registro de ocorrências da Unidade Prisional, zelando pela sua atualização diária, veracidade e integridade;
  • operar sistema de radiocomunicação na área do Sistema Penitenciário, quando em deslocamento externo de monitoramento, missões, custódia e escolta de presos;
  • frequentar cursos e treinamentos inerentes às suas atividades;
  • auxiliar na coordenação de trabalhos desenvolvidos na sua área de competência;
  • executar ou fiscalizar a entrada e a saída de pessoas e veículos dos estabelecimentos penais, incluindo a execução de revistas corporais;
  • efetuar ou fiscalizar a conferência periódica da população carcerária, conforme dispuserem as leis, portarias e(ou) regulamentos;
  • zelar pela manutenção, conservação e uso correto das instalações, aparelhos, instrumentos e outros objetos de trabalho;
  • receber e fiscalizar a documentação para o cumprimento de Alvará de Soltura de presos mediante ordem judicial, Mandado de Prisão para ingresso no Sistema Penitenciário, mediante ordem escrita de autoridades competentes, bem como saídas e licenças temporárias, conforme ordem judicial;
  • controlar ou supervisionar a presença de presos, por meio de chamada nominal, nas oportunidades de saídas e retornos às galerias e(ou) pavilhões; atuar na fuga iminente e auxiliar, se necessário, nas diligências policiais de buscas visando à recaptura dos foragidos/evadidos;
  • realizar, junto com as equipes policiais, quando necessário, o recambiamento e escolta de presos de outros Estados da Federação; e realizar outras tarefas correlatas, conforme a legislação pertinente.

Panorama

O governo do estado autorizou o provimento de 200 vagas imediatas, além de 800 vagas para cadastro de reserva que deverão ser ocupadas, após realização do concurso Polícia Penal PE.

A remuneração dos ocupantes dos cargos é de R$3.872,82, com vencimento base de R$ 1.638,21, acrescido de valor ao vencimento a título de Risco Penitenciário, totalizado em R$ 3.276,42.

Na última seleção, os candidatos passaram pelas seguintes fases etapas:

  • Primeira etapa
    • Prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, de responsabilidade do Cebraspe;
    • Prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório, de responsabilidade do Cebraspe;
    • Exames médicos, de caráter eliminatório, de responsabilidade do Cebraspe;
    • Avaliação de capacidade física, de caráter eliminatório, de responsabilidade do Cebraspe;
    • Avaliação psicológica, de caráter eliminatório, de responsabilidade do Cebraspe;
    • Investigação social, de caráter eliminatório, de responsabilidade da SERES/PE.
  • A segunda etapa
    • Curso de Formação, de caráter eliminatório e classificatório, de responsabilidade da SERES/PE.

Foi exigido, no último edital do concurso Polícia Penal PE, o conhecimento nas disciplinas de português, RLM, informática, administrativo, constitucional, penal, processo penal, legislação especial e direitos humanos.

Depoimento aprovado PRF

“Concurso é maratona”, concorda? Confira o depoimento de um aluno do Direção aprovado no concurso PRF:

Fevereiro vai ser MELHOR que janeiro!

Se janeiro foi bom para o mundo dos concursos, não se engane: fevereiro pode ser AINDA MELHOR.

Muita gente acha que o ano só começar depois do carnaval.

Spoiler: o nome deles não vai sair no Diário Oficial como aprovado em 2024.

Você que quer estar entre os primeiros e ser aprovado ainda neste ano, só tem uma DIREÇÃO a seguir. Clique na imagem abaixo e mude seu destino:

Resumo do concurso Polícia Penal PE

  • Situação: iminente
  • Vagas: 200 + 800 CR
  • Cargos: policial penal
  • Escolaridade: nível superior em qualquer área
  • Salários: iniciais de R$ 3.872,82
  • Link do último edital

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre concursos públicos? O Direção Concursos preparou um grupo no Telegram com as principais notícias. Clique aqui e participe!

notícias concurso Polícia Penal PE

Quer ficar por dentro de tudo que rola no mundo dos concursos públicos, em primeira mão? Acompanhe o Direção News por meio do perfil do Instagram!

Maurício Miranda Sá

Maurício Miranda Sá

Jornalista no Direção Concursos e Servidor Público Federal lotado no TSE (Tribunal Federal Eleitoral), estudou Jornalismo, Rádio e TV na UFRN, Publicidade na UNP, Gerenciamento de Projetos pela ESPM e atuou como assessor de comunicação em diversos órgãos e instituições, como o Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contras as Secas), Sindifern (Sindicato dos Auditores Fiscais do RN) e, por cinco anos, foi responsável pela divisão de comunicação da empresa Temos Casa e Art Design, produtos que desenvolveu, produziu e dirigiu no Rio Grande do Norte, sendo um complexo de comunicação com programa de TV, programete de Rádio, revista e portal na internet.

Tenha acesso completo a todo o conteúdo do Direção Concursos

Acesse todas as aulas e cursos do site em um único lugar.

Utilizamos cookies para proporcionar aos nossos usuários a melhor experiência no nosso site. Você pode entender melhor sobre a utilização de cookies pelo Direção Concursos e como desativá-los em saiba mais.