Concursos Abertos Concursos 2020

Concurso TJ RJ: inscrições serão reabertas, declara presidente do tribunal

Larissa Lustoza Larissa Lustoza comentários
20/02/2020, às 19:23 • 5 meses atrás

				<![CDATA[]]>

Atenção, concurseiros: concurso TJ RJ foi suspenso. Decisão foi tomada pelo presidente do tribunal devido ao surto de coronavírus. E, de acordo com o desembargador, as inscrições serão reabertas após a retomada do concurso.

Funcionará da seguinte forma, de acordo com declaração oficial do desembargador:

  • quem realizou a inscrição, pode pagar o boleto até o dia 29 de abril
  • quem realizou a inscrição, mas não tem como pagar, haverá novo prazo de pagamento após a retomada do concurso
  • quem NÃO realizou a inscrição, haverá novo prazo para realizar a solicitação quando o concurso for retomado.

Resumo edital TJ RJ

Análise completa do Edital TJ RJ

Os especialistas do Direção Concursos fazem uma análise completa do edital TJ RJ. Acompanhe em:

  • Técnico de Atividades Judiciária, sem especialidade – 85 vagas;
  • Analista Judiciário, sem especialidade – 31 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Contador – 2 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Execução de Mandados – 10 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Psicólogo – 5 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Assistente Social – 5 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Comissário de Justiça da Infância, da Juventude e do Idoso – 5 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Médico – 6 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Médico Psiquiatra – 1 vaga;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Negócios – 2 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Infraestrutura – 2 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Projetos – 1 vaga;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Seg. da Info – 2 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Sistemas – 2 vagas;
  • Analista Judiciário especialidade Analista de Gestão de TIC – 1 vaga

Histórico de convocações

Cláudio de Mello Tavares, presidente do Tribunal de Justiça do RJ (TJ RJ), informou, no começo do ano, que iria convocar centenas de aprovados no último concurso.

No dia 24/3/2019, segundo o jornal O Dia, 121 requisitados anteriormente tomariam posse. A previsão seria de 191 tomando posse, mas haverá um novo chamado para aqueles que não apareceram.

Ainda de acordo com o jornal , em um momento posterior, seriam convocados mais 100 para assumirem seus cargos.

O jornal O Dia, em 23 de maio, anunciou que o TJ RJ convocaria os 109 remanescentes esperados.

Reposição é necessidade

Um estudo feito pela Corregedoria-Geral da Justiça pretende suprir os lugares com maior falta de servidores. É possível que, diante do cenário da reforma da Previdência, muitos se aposentem. Cerca de 480 ocupantes dos cargos já requereram a aposentadoria voluntária.

Cargos vagos TJ RJ

Segundo o último levantamento do tribunal, há uma grande vacância de cargos no órgão. Além disso, as aposentadorias representam um grande montante.

Cargos vagos: 2.937 cargos de Analista Judiciário e 868 de Técnico de Atividade Judiciária.

Na tabela acima podemos ver que são MUITOS cargos vagos. Em agosto de 2019, última tabela disponível no site do TJ RJ, há perto de 3 mil cargos vagas para o cargo de Analista e 862 para o cargo de Técnico. Ou seja, há no tribunal, 3.844 cargos vagos ao todo.

TJ RJ em números

Atualmente, o TJ RJ conta com 81 comarcas, divididas em 14 regionais. São 35 Câmaras, sendo 27 Cíveis e 8 Criminais. Ao todo, são mais de 500 Varas.

De quantitativo de pessoal, há 865 magistrados em atuação, sendo 180 desembargadores e 685 juízes. De servidores, são 13.720 em atividade, sendo a maior parte (78,08%) atuando em 1º Grau.

Veja abaixo como é a divisão de comarcas e regionais:

Remuneração e benefícios

A equipe de jornalismo do Direção Concursos preparou uma tabela com os valores recebidos pelos ocupantes de todos os cargos previstos no próximo concurso.

Veja baixo

CARGO ESCOLARIDADE SALÁRIO
TÉCNICO DE ATIVIDADE JUDICIÁRIA SEM ESPECIALIDADE NÍVEL MÉDIO COMPLETO R$ 5.556,06
ANALISTA JUDICIÁRIO SEM ESPECIALIDADE NÍVEL SUPERIOR EM ADMINISTRAÇÃO, DIREITO OU ECONOMIA R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRIO – CONTADOR NÍVEL SUPERIOR EM CONTABILIDADE R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRIO – PSICÓLOGO NÍVEL SUPERIOR EM PSICOLOGIA R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRIO – ASSISTENTE SOCIAL NÍVEL SUPERIOR EM SERVIÇO SOCIAL R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRIO – COMISSÁRIO DA INFÂNCIA, JUVENTUDE E IDOSO NÍVEL SUPERIOR EM ADMINISTRAÇÃO, SERVIÇO SOCIAL, SOCIOLOGIA, PSICOLOGIA, PEDAGOGIA OU DIREITO R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRO – MÉDICO NÍVEL SUPERIOR EM MEDICINA R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRIO – MÉDICO PSIQUIATRA NÍVEL SUPERIOR EM MEDICINA PSIQUIÁTRICA R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICÁRIO – ANALISTA DE NEGÓCIOS NÍVEL SUPERIOR NA ÁREA ESPECÍFICA R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRIO – ANALISTA DE INFRAESTRUTURA NÍVEL SUPERIOR NA ÁREA ESPECÍFICA R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRIO – ANALISTA DE PROJETOS NÍVEL SUPERIOR NA ÁREA ESPECÍFICA R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRIO – ANALISTA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NÍVEL SUPERIOR NA ÁREA ESPECÍFICA R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICÁRIO – ANALISTA DE GESTÃO DE TIC NÍVEL SUPERIOR NA ÁREA ESPECÍFICA R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRIO – ANALISTA DE SISTEMAS NÍVEL SUPERIOR EM ANÁLISE DE SISTEMAS R$ 8.059,89
ANALISTA JUDICIÁRIO – EXECUÇÃO DE MANDADOS NÍVEL SUPERIOR EM DIREITO R$ 8.059,89

Gratificações e adicionais

Confira, abaixo, alguns contracheques de servidores postados no porta l oficial do Tribunal de Justiça do RJ:

Perceba que os servidores recebem benefícios generosos. Eles recebem auxílio-alimentação, auxílio-locomoção, auxílio-creche e auxílio-saúde.

Com isso, de acordo com uma folha de pagamento divulgada pela conta de instagram @revisalei, um Técnico de Atividade Judiciária pode chegar a receber, em início de carreira, até R$ 5.502,06.

Ainda há um benefício conhecido como “vale-peru”, que é depositado no fim do ano, proveniente de movimentações dos depósitos judiciais. O valor chega perto dos R$ 2 mil.

Progressão na carreira

O governador Wilson Witzel assinou, em 19/11, o projeto de lei nº 1461/2019, que permite a progressão funcional dos servidores do Judiciário Fluminense a cada dois anos, desde que obedecidas algumas regras como a de capacitação.

O texto, que altera a Lei 4.620/2005, modificando o critério de evolução funcional dos servidores, foi aprovado à tarde na Assembleia Legislativa com 46 votos favoráveis e três contrários. O projeto de lei foi elaborado pelo próprio presidente do Tribunal de Justiça do Estado Rio, desembargador Claudio de Mello Tavares, que se empenhou pela sua rápida aprovação. Tendo em mãos a lei aprovada pela Alerj, ele foi até o Palácio Guanabara para que o documento fosse assinado pelo governador.

A proposta votada na Alerj foi apresentada pelo presidente do TJRJ e aprovada, por unanimidade, pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio, no dia 7 de outubro.

Até então, a promoção dos servidores do Judiciário somente era possível na ocorrência de vacância por aposentadoria, morte ou exoneração do servidor. Além do prazo de dois anos para alcançar a promoção, o servidor também precisa frequentar e ser bem avaliado em cursos de capacitação. O servidor poderá alcançar o último grau de progressão após 22 anos de serviço.

– Precisávamos fazer algo pelos servidores, que, há anos, esperavam pela aprovação de uma lei como essa. Perdemos muitos bons funcionários para outros órgãos por que eles, depois de capacitados, saiam em busca de melhores salários em locais onde podiam progredir na carreira. Estou feliz por ter apresentado esse projeto de lei e por ele ter sido compreendido pelos deputados e pelo governador no sentido de que não representará mais gastos nem vai onerar a população. Extinguimos cargos e vamos honrar a folha com o próprio duodécimo que recebemos – disse o presidente.

concurso nível médio 2019 concurso rio de janeiro concurso rj 2019 concurso tj rj 2019 concurso tribunal 2019 concursos tribunais rj 2019 convocados tj rj

Larissa Lustoza

Graduada em Jornalismo, já foi estagiária na área de Assessoria de Comunicação na Secretaria de Cultura do Distrito Federal, repórter por um ano no projeto de extensão da faculdade e estagiária no jornal online Metrópoles. Além disso, possui habilitação em design gráfico e em Lei de Acesso à Informação.